sábado, 7 de fevereiro de 2009

Segundo Mandato e Divisão de Agenda



Sou contra a reeleição para cargos executivos. Acho que o ideal seria termos mandatos de 5 anos e a proibição do mandatário reconduzir-se ao cargo, tendo que indicar alguém para sucedê-lo.

Não há quem, no exercício do mandato executivo, não use a máquina em proveito próprio. Nas últimas eleições, nós sentimos a força dos recursos públicos em favor de uma candidatura. Reformas de casas, doações de casas novas, concessões de empregos no poder público e em empresas prestadoras de serviços aliadas, amordaçamento de determinados segmentos da imprensa com verba pública de comunicação e outros "delitos" foram amplamente praticados.

É bem verdade que pode existir uma escala delituosa, tendo alguns gestores em busca da reeleição que se excedem mais no grau de periculosidade das suas iniciativas visando obter a recondução.

Independentemente de ser contra ou a favor, inegavelmente, o grande desafio de quem tem ou teve direito ao segundo mandato é melhorar a qualidade do primeiro mandato no segundo.

Muita gente boa relaxou e quebrou a cara. Tenho observado com atenção essa idéia fixa de ser candidato ao governo estadual em 2010 e a divisão da agenda entre a pré-campanha e os compromissos administrativos à frente do poder executivo municipal.

Se as inúmeras denúncias e indícios de corrupção do primeiro mandato existiram e foram reais, mesmo com uma propalada marcação em cima, na base do "homem a homem", imaginem agora com o chefe do executivo batendo pernas por aí em busca de vôos mais altos ?

O bicho vai pegar e bezerro vai desconhecer vaca ! Aguardem e verão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário