segunda-feira, 11 de maio de 2009

Preocupação com o nível das reservas dos BCs

Em meio ao surgimento da crise econômica mundial, ficou comum vermos notícias nos veículos de comunicação sobre o retorno do Estado como alavancador do crescimento econômico. Essa função tão em desuso em tempos de neoliberalismo, já foi uma das mais importantes na idade moderna nos tempos do absolutismo e do mercantilismo.

Os EUA anunciaram pacotes bilionários que somados já ultrapassam os 2 trilhões de dólares. A China também anunciou os seus bilhões destinados a manter a pajunça econômica do gigante oriental. O Brasil tem também o seu pacote de bondades anunciado pelo presidente Lula e pelos ministros da área econômica. Outros países também o fizeram.

Mas esses pacotes de bondades para socorrer bancos e catapultar o crescimento econômico também têm o seu custo: a redução do nível das reservas dos bancos centrais desses países e um enfraquecimento das "defesas" desses países para o enfrentamento dessa gripe econômica.

Essas ações geram implicações na poupança dessas nações, podendo gerar desdobramentos muito sérios em um futuro próximo: a possibilidade concreta de uma quebradeira generalizada tal qual a derrubada das peças de um dominó.

Esperar e torcer para não ver !

Um comentário:

  1. Grande Professor Paiva!
    Antes de mais nada, quero lhe parabenizar pela palestra dessa noite. Ministrada com maestria e muito bem sucedida.
    Meu nome é Yury (Aluno de Adm/Quarto Período). Passei por aqui para dar uma olhada no teu blog. Muito interessante. Não li todo, porém salvei em meus favoritos para poder fazer isso mais tarde.
    Parabéns!
    Fica aqui meu registro de visita!
    Yury Quéfren Costa Teodósio

    P.S.: Tenho um blog. Caso tenha um tempo para visitá-lo, segue o endereço:

    www.standby.spaceblog.com.br

    ResponderExcluir